As numerações ainda são um problema na hora de comprar mas já estamos começando a ver uma padronização

A moda não é exclusiva do mundo jovem e adulto e cada vez mais conquista as crianças. Os pequenos ainda têm preferência entre os brinquedos e games, mas é notável que eles começam a se interessar pela maneira de vestir e ainda impõem seus gostos e escolhem seus estilos. Para os adultos, é sempre difícil saber como agradar uma criança na hora de comprar roupas e há sempre uma dificuldade para acertar a numeração.

O Brasil segue uma tabela (veja abaixo) criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que é o Foro Nacional de Normalização. O objetivo é estabelecer um sistema de indicação de tamanhos que apresente, de forma direta e de fácil compreensão, as medidas corporais de crianças e jovens.

As fábricas não são obrigadas a seguir essa tabela, ela é apenas uma sugestão para que se chegue a um padrão, porém, os principais fabricantes estão adotando-a.

TABELA de Referência para confecção infantil ABNT
Tamanho Idade da Criança
PP Recém-nascido
P Até 3 meses
M 3 a 6 meses
G 6 a 9 meses
GG 9 a 12 meses
1 12 a 18 meses
2 18 meses a 2 anos
3 3 anos
4 4 anos
6 5 a 6 anos
8 7 a 8 anos
10 9 a 10 anos
12 11 a 12 anos
14 13 a 14 anos

Esses tamanhos levam em conta várias medidas médias para cada faixa etária como por exemplo, medida do tórax, quadril, cintura, ombro, bíceps, etc. Por isso, ainda existirão os casos em que um bebê de 3 meses necessitará de uma roupa tamanho G e um outro bebê de 3 meses de tamanho P, pois essas medidas foram baseadas em uma média do corpo humano dos bebês em cada faixa etária.

A principal diferença dessa tabela para as numerações anteriores é que cada fábrica tinha a sua, ou seja, o tamanho M de uma fábrica não era igual ao de outra fábrica, com essa tabela, os tamanhos M de todas as fábricas deveriam ter as mesmas medidas.

Fonte

Sem comentários

Envie uma resposta